sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Vontade solta


Tolerância zero. Equilíbrio zero. A vontade solta fez nascer a escravidão. Nosso mundo passou a girar atrás das grades. Hoje nada fere o coração. Vivemos como cães, como porcos pisam pérolas em chiqueiros perfumados. Ninguém pisou no freio! Será que temos chance? A velocidade aumenta e o sinal ainda está vermelho. Sempre perde quem tenta salvar a própria vida. Fizemos de tudo para roubar o lugar de Deus, inventamos vários deuses pra servirem o nosso eu. Viciamos em desculpas que não nos servem mais. Perdemos o controle, a doença se espalhou. A vontade solta, a arrogância nos dominou.

Um comentário:

Breds Lima disse...

adoro as coisas que você escreve, celião! (L)